sábado, dezembro 08, 2007

Submerso



És tudo o que sempre quis.
És o meu sol, a minha luz, o meu mar e o meu céu.
Sem ti não há vida em mim, e hoje vivo apenas porque sinto saudades de ti...

Navego submerso sem saber já qual é o sabor do ar que um dia me encheu e procuro na areia estéril a força que um dia me fez germinar e que quando partiu me secou por completo.
Não encontrei ainda, mas não desistirei nunca. Sinto que se encontrar um grão que seja germinarei de novo e conseguirei respirar o ar que agora me falta.
Pena que este mar seja tão grande e tão fundo e que por mais que nos estiquemos e por mais que nos ponhámos em bicos de pé não cheguemos à superficie...

Beijos para ti princesa.
Abraço-te desde aqui.

3 comentários:

kakauzinha disse...

A saudade é um mar infindo... neste mar de vidas... nesta separação de mares... mas sempre um mar de Amor.

Beijo no teu coração (*)

***Serena*** disse...

Nesse mar imenso de saudade existe sempre o abraço ondulante na brisa das marés que nos fazem reviver e relembrar o belo que é...
No areal pousamos o coraçao e assim descansamos das longas braçadas ,dos imensos mergulhos para de novo voltar a mergulhar nesse tão belo mar...o de sentir.. Amar...
***

GarçaReal disse...

O mar da saudade.

A saudade que se entranha e arrebata todo o sentir...Até deixar de sentir...Até deixar de ter saudade.

bjgrande