quinta-feira, dezembro 06, 2007

Fada MADRINHA...

Há nas conversas de crianças fadas que não se mostram a todos os piratas.Há nelas lindas princesas que voam e que embora não se vejam com olhos de humano, se enxergam quando nos vestimos de Verde Peter Pan.
Elas existem e lançam pós de perlimpimpim para que possamos voar também, e ainda que não consigamos levantar os pés do chão partimos com elas em longas viagens sem fim.
Fechamos os olhos e partimos. Flutuamos no céu da felicidade e olhámos horizontes de um azul que não há. Embrenhamo-nos em fios de luz e em teias de ternura.
Ás vezes chovem em nós, piratas, pós dourados lançados pelas fadas nos caminhos que trilhámos, que nos conduzem por veredas de sabores, pradarias de doçura e céus de algodão doce.
E há sempre por cá, perto de cada membro da tripulação, uma fada madrinha para cada um. Alguém que nos empurra, que nos tira o medo, que nos pica e nos incita a voar.
E eu tenho uma fada madrinha. A tua. Aquela que te deu o saquinho onde guardas o teu pó dourado. A que te empurrou e te deu um sopro do teu voo.

Ela ensinou-te a voar, e agora quer que um pássaro desajeitado também voe.
Ele, desajeitado, bate as asas, mas não passa do chão. Tenta, esforça-se, acredita. E ela ralha-lhe, explica-lhe, repete-lhe as instruções, descompõe-no.

E tu, aí em cima, rís.
Sentem-se as tuas gargalhadas por aqui.

Troças dele e divertes-te ao ver como até um duro pirata tem medo de subir ao mastro principal.
Ele insiste, aplica-se, desiste mas regressa, e como sempre acredita que um dia voará.
Ele ouve a fada madrinha, reclama, diz que nunca vai conseguir, mas fecha os olhos e
pensa na sua Sininho e como que por milagre, ás vezes sente-se flutuar.
Quando abre os olhos e fita o horizonte pensa na fadinha que o acompanha sempre atrás da sua orelha e diz para ela:

Quero ser o teu Peter Pan, fadinha...
Um dia...
Voaremos até mais pó não haver...
E para sempre seremos felizes...
Em manhãs de cores...
Douradas felicidade e...
...Vermelhas de paixão!



O teu pó é de ouro Sininho...

3 comentários:

kakauzinha disse...

De ouro são os teus sentires, o teu amor, a tua saudade...

De ouro é a tua pequena fada, pequeno Sininho que toca a música de anjos que tens no coração.

Beijinhos (*)

Dias disse...

Eu para aqui a ouvir o Hercules na TVI, e à espera do Peter Pan, acho que a Fada Madrinha da filhota é muito cruel para os páis (embora desde tenra idade tenha notado um je ne ces quoi na Sininho, que hoje, aliado a essa crueldade, a photoshopam de cabedal empoeirada)

Abraço

***Serena*** disse...

Lindo !
Beijo de quem se encantou com tão belas palavras e sentires
***