quinta-feira, abril 03, 2008

17h



Olá meu céu...

Escrevo-te desde aqui, desde este mundo pequenino que piso diáriamente. Escrevo-te e abraço-te com palavras simples mas sentidas. Palavras que te queria dizer a ti repetidamente como se de uma melodia se tratasse, como se da banda sonora das nossas vidas estivessemos a falar. Queria partilhar muito mais contigo. Queria ter-te, ver-te, sentir o teu cheiro, agarrar o teu braço, afagar os teus cabelos.
Queria completar o sonho lindo que sempre adivinhei em ti e assistir de camarote ao teu passeio pela vida até que o espectáculo acabasse para mim.
Não pôde ser assim. Não sei porquê, nem me interessa. São factores que jamais poderemos mudar. Somos mortais desde o dia em que nascemos!
Passam-se hoje 1460 dias desde que te toquei pela última vez nesta dimensão, mas passar-se-ão muitas vezes mais dias, horas, séculos ou milénios até que te esqueça.
Hoje escrevo-te para que te sintas bem, para que saibas que hoje como há quatro anos atrás és o sol que ilumina os meus dias. És o calor que me aquece o sangue e a razão pela qual não me rendo à vida!
Ensinaste-me a lutar até ao último minuto. A mim que tinha tantas certezas absolutas que se desvaneceram num dia 03 de Abril e deram lugar a uma realidade VIVA!
Celebro-te hoje como todos os dias da minha vida porque és TU, princesa que me alimentas a alma e fazes com que arraste este cadáver que me prende, por este mundo que nunca te mereceu.
Hoje abraço-te imensamente, eternamente, celebrando o amor eterno que te tenho e que nunca nada nem ninguém nos poderá tirar.
Hoje é um dia como os outros. Um dia em que me sinto profundamente triste por te ter perdido mas me sinto MUITO mais feliz por te ter conhecido e por saber que me amas incondicionalmente como pai, amigo, companheiro, confidente.
Sabes princesa? Aprendi contigo a não me deixar vencer! A não me deixar vergar! A não me render nunca!
Hoje pode o céu cair que eu vou encontrar nesse facto o maior de todos os benefícios que é encontrar-te, apertar-te a mão e encostar o meu coração ao teu e sentir-te...

Teria um milhão de palavras para te dizer, um baú cheio de coisas "fixes" para te contar e uma vida inteira que gostava de partilhar contigo, mas assim talvez me consiga aproximar um pouco de ti. Talvez um centimetro, talvez um metro, talvez a distância que nos separa seja ultrapassada pelas palavras que te dirijo e que sei que sentes em cada letra que te mando. Mando-tas sem destino escrito pois sei que estejas onde estiveres as agarras como eu agarro os sinais que tu me destinas a mim, teu pai, teu amigo, TEU...

Sabes princesa, gostava de te mandar um poema lindo, uma música embrulhada em maravilhosas melodias, um ramo com as mais fabulosas flores, uma fantasia com os mais fantásticos personagens... Não consigo! Não tenho esses talentos, tenho apenas o saber que a vida me ensinou. Apenas o simples mas eterno amor com que te sinto. Sirvo-me dele para te tocar. Ao de leve, mas de forma muito sentida e saborosa...

Com tantas palavras quis apenas mandar-te uma palavra que é:

AMO-TE!!!

Hoje e sempre!


ETERNAMENTE!!!



Estou contigo sempre como tu estás e estarás SEMPRE comigo...

Isso nunca ninguém nos roubará...





9 comentários:

Um Momento disse...

1460 dias de saudade ...
Contudo no teu coração vive alegre em presença a Princesa que ilumina o teu olhar todos os segundos em que vês uma flor... um passarinho... um arco iris...
Em que sorris quando sentes esse amor...terno e eterno

Abraço-te eternamente com o maior respeito por essa saudade...

(*)

O Papagaio disse...

Nunca aquele imenso mar-de-olhar irá desaparecer de dentro de mim...É nele que navego hoje com imensa saudade.Não vejo o olhar,sinto o mar...Deixo-me navegar...
Beijos Princesa!Encontramo-nos por aí...

O Papagaio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BorboletaDistraída disse...

A força e coragem que te guiaram ao longo destes 1460 dias, estejam sempre junto de ti, em todos os que por aí vêm.

Beijos

Manuela disse...

1460 dias... de um amor que não se pode tocar. Mas de um grande e eterno amor...
Não és poeta dizes, mas és um ser humano maravilhoso, não é preciso ser poeta, ser escritor ou coisa que o valha, o teu sentir o teu amor, esse que nunca ninguém te vai tirar porque é Teu e da Tua Princesa... Ela está muito orgulhosa de Ti... das coisas "fixes" que lhe contas nas cartas sem destinatário...

beijo Grande em Ti.

Ana disse...

O Amor é o maior dos poetas, escritores, pintores, músicos...

1460 dias de saudade...

Palavras tão belas. Sorri para ela, porque cada vez que és feliz ela sorri também para ti.

Beijo terno

Dumuro disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
**** disse...

Olá!
Há quanto tempo não passava por aqui...
Perdi o meu blog por alguma razão que desconheço,e este é o novo!
beijinho*

(Solitária de "No silêncio das palavras")

kakauzinha disse...

"Se eu pudesse por um dia
Esse amor, essa alegria
Eu te juro, te daria
Se pudesse, esse amor, todo o dia"

Quarteto em Cy - Falando de amor (Tom Jobim)

http://www.youtube.com/watch?v=wvkk-vcCJjg

Beijo azul*