sexta-feira, novembro 09, 2007

Inferno...


arde em mim um fogo lento
um fogo rasteiro que há-de consumir-me até ao último átomo
matreiro e cruel vai reduzindo a cinzas a parte de mim que ainda vive
aquece aos poucos cada parte que cobiça e de repente explode em temperaturas de fusão
derrete, faz caír a pele que cobre os sentimentos
expõe-nos em carne viva e de repente torna-os em pó
avança em silêncio este fogo
a cada dia avança e vai tomando conta de quem já fui
entra e instala-se, infiltra-se, entranha-se
sinto falta de mim mas já não vivo sem senti-lo...

5 comentários:

Lis disse...

Passei aqui para te dizer que não sou fria ou esquecida..estou ainda no pleno uso do meu luto, mas sinto a tua falta! Linda esta mensagem e estou completamente seduzida e rendida!És um companheiro de sombras...e de fogo!
Da combustão lenta que me consome!
Tenho saudades....Muitas!"As vezes fico horas a fio...." Relembro o poeta e viajo ao velho mundo.."Só"
A tua fiel companheira!!!!
Beijos!!!
PS gostei da nomeação sugestiva BNC!!! Se assim foi, deve ter razão!!!!Quem sou eu para duvidar!

kakauzinha disse...

Sinto a tua dor em mim.

Abraço-te (*)

Um Momento disse...

...

Abraço-te fortemente...

(*)

rato do campo disse...

Belo, muito belo. Gostei de passar por aqui! Bom fim-de-semana!

Dr Mendez (AKA Nitrosferatu) disse...

Não será o amor que te consome? Esse fogo doi, mas agrada-nos o seu calor.

D.M.