quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Vento...


...resisto à aragem quente que me empurra para trás. Finco as garras no ressequido capim e seguro-me enquanto ela me afaga a juba.
Inspiro o ar morno que me enche os pulmões com doces odores que te trazem à memória.
Olho de cima a savana na esperança de te ver brincar e correr por entre as acácias...
Sei que o tempo é escasso e não se compadece com descansos mas quando o sol beija o horizonte num abraço que se apaga lembra-me sempre de ti e todo o tempo que gasto a contemplá-lo é uma garantia que no dia seguinte terei força para enfrentar todas as hienas de África.
Serei forte por ti e não me renderei nunca.
Vencerei pois a força que me transmites será até ao fim dos meus dias o meu maior escudo e a minha mais forte espada.
O leão está vivo e com a força do vento que respira!
Que se cuidem as hienas quando ele se levantar e o seu rugido fizer ecoar pela planície...

2 comentários:

lu maga disse...

Gosto de ver o meu leãozinho assim!De juba ao vento e alto, bem alto a mirar a savana...

Ela anda por aí mesmo...A brincar às escondidas com a nosso desejo de a "ter"...Agora ela é livre, e lá das acácias eternas,aparece só quando o nascer do sol se ilumina dentro de nós...E a sintonia do encontro, é a música que escreve poemas no coração.

Beijinho leãozinho!Gosto muito de te ver leãozinho...Como diz o Caetano irmão da Bethania

Anónimo disse...

como todo o sempre, todo poderoso!