segunda-feira, julho 21, 2008

Chamo-te...


Escrevo-te no vento
chamo-te sem falar
abraço-te de olhos cerrados
e fecho-te em mim enquanto te mostro o mundo.

O teu nome é o ar que respiro
o teu olhar é o sol da manhã
o teu abraço é o fresco mar...

Sinto-te como se sente a lua...
Por vezes enorme e brilhante,
outras escondida e pálida,
mas sempre lá,
serenamente a marcar os seus ciclos...


Faltas-me, mas estás sempre presente...

AMO-TE PRINCESA

2 comentários:

BorboletaDistraída disse...

Tão bonito,tão forte, tão intensamente carregado de saudade.
Força! Um dia virá o encontro e o abraço. Até lá, sente-a na lua no sol no ar, em ti.

Beijos Doces.

Andreia Lopes disse...

Nunca é demais te perderes em alguém...
*