segunda-feira, março 19, 2007

Prisão perpétua

Olá princesa!!!

Estou, deprimido.

Deprimido com a vida, com o mundo, com as pessoas e com tudo!!!
Sinto-me como sempre, encerrado numa masmorra fria e escura onde apenas uma luz penetra, a tua. É a tua luz que me mantém vivo embora eu por vezes brinque à felicidade.

Sinto-me muito preso e receio estar a sentir necessidade de fazer um motim.
Acho que vou queimar o colchão e atirar os meus pertences pelo postigo gradeado que me mostra o mundo exterior enquanto me encerra aqui!
Sinto-me apertado, claustrofóbico, sufocado. Sinto as paredes a apertarem-se umas contra as outras e a comprimirem o meu corpo.
Sinto que a tua luz não tem entrado na minha cela como costumava entrar. Sinto-me muito escuro por fora e por dentro e embora me tente animar com a luz que já brilha lá fora, e o sol que já afaga a terra com o seu calor maternal, não posso nunca deixar de sentir a escuridão que deixaste para sempre quando partiste.
Sinto que a minha cela foi deixada propositadamente de costas para o Sol para que nunca pudesse sentir os seus braços a apertar o frio que encerro no coração e a quebrar o gelo que trago nos olhos. Queria que o sol o derretesse e o fizesse escorrer, para me lavar a face e para que o seu sal me fizesse sentir na boca o seu sabor como prova de que ainda estou vivo.
Sinto hoje que, faça o que fizer vou receber apenas um ténue reflexo da luz que podia ter se não me encontrasse aqui fechado.
Aqui, só a imaginação me salva da morte súbita. Só as memórias do futuro me recordam que ainda sou quem fui.


Só o mar, a lua e a liberdade me fazem chegar a ti.

Volta para perto de mim, princesa.

Ainda que seja em sonhos de luz quero manter-me perto de ti.
Faz-me voar de novo. Dá-me asas para que me possa sentir mais próximo outra vez.
Faz com que sinta que o facto de neste momento não te estar a ver, é só porque estou a dar a volta à montanha que me leva a ti.
Tenho que caminhar princesa. A vida não parou. O mundo continua igual e a injustiça continua a ser rainha.

Quero despedir-me de ti sem nunca te deixar partir pois não sei viver sem ti.
Quero ser gente normal sem poder!
Quero sentir o sol a bater-me na face e ficar marcado por ele sem nunca perder a pele que tinha quando tu estávas comigo.
Quero sentir o mundo todo sem me levantar da cadeira para que saibas sempre onde me encontrar.
Eu sei que estou errado, princesa, mas eu sou humano! Tu já não és. Tu és muito mais que isso. Já passaste essa fase, já estás noutro nível e passeias pelo topo, enquanto eu me mantenho por aqui nas profundezas desta masmorra sombria...

Dá-me um ar da tua graça. Dá-me um pouco, só um pouco da tua luz. Eu prometo que vou estar atento e aproveitar.
Sabes bem que quando eu prometo, eu cumpro...


Até já...

1 comentário:

lu maga disse...

Ela anda por aí... e se tu não vês as pegadas dela na tua alma, eu escrevo hoje para te dizer o local onde ela se esconde...tu não a vês, mas eu vejo-a em Ti...Não feches as asas que ela te legou.Mesmo que doa, parte dessa prisão escura e, voa!!!!
Quando menos esperares, ela vai guiar o teu rumo e juntos vão fazer o mesmo caminho!Como sempre, a princesa e o seu leãozinho vão aprontar!
Afinal, uma Princesa demora o seu tempo para se revelar!